CAMPANHA DE RESTAURAÇÃO DA SEDE DO IPCN!

CAMPANHA DE RESTAURAÇÃO DA SEDE DO IPCN!
VOCÊ TAMBÉM PODE PARTICIPAR! Comunique sua doação pelo e-mail: ipcn_ipcn@yahoo.com.br - Clique na imagem acima e VISITE O BLOG DA RECUPERAÇÃO DO IPCN.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

JUÍZA NEGRA Luislinda Valois EM VIVER A VIDA

Depoimento da Juíza Luislinda Valois para novela da TV GLOBO

68 anos
Salvador BA

Filha de um motorneiro de bonde e de uma, teve que ajudar no sustento da família desde muito criança. Luislinda e seus irmãos catavam mariscos e destinavam parte do que conseguiam à venda. Apesar das dificuldades, os pais sempre incentivaram os estudos. Aos 9 anos Luislinda levou para a sala de aula um conjunto de réguas de madeira ao invés das de plástico, que eram mais usadas e também mais caras. O professor não gostou e disse que era melhor que ela fosse fazer feijoada na casa de brancos já que era pobre e não tinha condições nem para comprar o material.

Luislinda saiu chorando mas voltou dizendo que um dia seria juíza e retornaria para prendê-lo. Os anos se passaram e ela passou a ter que cuidar de seus irmão mais novos quando a mãe morreu. Contudo, ela nunca abandonou os estudos. Cursou faculdade de Direito, fez concurso e passou em primeiro lugar para a Procuradoria. Logo se tornou a primeira juíza negra do Brasil e foi a primeira no mundo a julgar um processo que teve por motivação um ato de discriminação racial.

Luislinda sempre acreditou nas suas capacidades. Construiu uma linda carreira, uma linda família e já tem 2 netinhos que são suas grandes paixões.
CLIQUE NA FOTO ACIMA E ASSISTA AO VÍDEO

10 comentários:

  1. parabens para vossa exelência pelo exemplo de vida que Deus te dê muita força para continuar o seu trabalho. Muita saude e felicidade.

    ResponderExcluir
  2. UM DEPOIMENTO MUITO COMOVENTE FIQUEI FELIZ EM ESSA JUIZA MARAVILHOSA NA TV CONTANDO SUA HISTORIA, QUE EU JÁ CONHECIA MAS O BRASIL PRECISAVA CONHECER.

    ResponderExcluir
  3. São pessoas como a Drª. Luislinda Valois que honram o nosso país,ainda tão cheio de desigualdades sociais a se combater, especialmente pelo fato da dívida social para com os negros, que foram os verdadeiros construtores da economia da sociedade brasileira, e no entanto em sua maioria compõem a maior parcela de excluídos. Instituições como IPCN podem em muito contribuir no combate aos preconceitos de raça,gênero e tantos outros que existem.

    ResponderExcluir
  4. Luis Fausto Valois15 de maio de 2010 16:20

    Em meu nome e de minha mãe agradecemos aos internautas e ao site pelo reconhecimento a trajetória de luta, sofrimentos, vitórias e exemplos de minha mãe.

    Luis Fausto Valois

    ResponderExcluir
  5. Jayme Figueiredo (Aracaju-SE)20 de maio de 2010 04:28

    Sou um privilegiado em poder ter Dra. Luislinda (a quem carinhosamente chamo de minha tia)e seu filho Fausto como meus amigos e irmãos, não de sangue, mas de coração e orgulho. Fico muito feliz pelo reconhecimento justíssimo e verdadeiro de sua luta, de sua história, de sua vida. Os desafios são diários e ainda existem situações desagradáveis, mas a coragem e força já demonstradas servirão como base para ultrapassar mais uma vez o preconceito. Nosso país tão desigual precisa de pessoas como ela para atingir um grau melhor de cidadania e respeito humano.

    ResponderExcluir
  6. Em todos os momentos em que penso em largar o curso de Direito devido a diversas situações que acometem nossa população, lembro-me do dia em que ganhei um livro a um tempo atrás chamado, O negro no século XXI. Uma pessoa em especial me deu o livro no dia de meu aniversário, eu estava muito decepcionada com as situações que me rondavam enquanto estudante (do curso de direito)negra e moradora da liberdade. Antes de abrir disse-me:
    "Olha a vida dessa mulher... ela parece com você na postura e até nas respostas é ousada, a frente, decidida ela é "retada" ... ah sabe quem ela é??? A primeira juiza negra do Brasil a e sabe do que mais??? Estudou e morou no mesmo lugar que você. Ela abriu as portas pra você, mesmo sem te conhecer então não repudie o que construíram pra você chegar até aí".
    Confesso que nem imaginava quem era aquela mulher filha de Oyá, até mesmo porque não tive muitas referências negras sobretudo mulheres em relação ao poder judiciário. Ontem estava meio atordoada, pois não são poucos os "tombos" que o racismo nos dá, precisei realmente "dar um tempo" nas leituras e fui ao show de Elsa Soares no TCA, encontro afro latino aqui em SSA. Vi uma vereadora aplaudindo alguém e quando me virei, vi que era Drª Luislinda rs nem consegui chegar perto dela tinha muita gente ao redor exitei e preferi não incomoda-la no memento de lazer eu a vi de perto rs... Ela é de minha altura , é preta, cabelo de trança... parece comigo!!! Eu realmente precisava tê-la visto naquele momento. Vi que não posso estar e de fato não estou sozinha ou melhor meus irmãos , NÃO ESTAMOS SÓS. Dia feliz!!!
    Que seja abençoada todos os dias pelos bons ventos o meu grande exemplo, Drª Luislinda de Valois.
    Ah... Quando em crescer quero ser igual a ela.
    Paloma Leles
    Salvador -Ba

    ResponderExcluir
  7. TENHO A IMPRESSÃO DE QUE POSSO CHAMÁ-LA DE LUISLINDA PORQUE FIZEMOS UMA COISA MUITO BONITA PARA A SOCIEDADE BAIANA NOS ANOS 70. FOMOS PROFESSORES NO COLÉGIO POLIVALENTE DE CAMAÇARI. LA VIVEMOS UM MOMENTO DE EDUCAÇÃO DO JEITO QUE NÃO SE FAZ HA MUITO TEMPO! LÁ TIVEMOS A FELICIDADE DE CONVIVER COM CRIANÇAS MUITO HUMILDES QUE DEPENDIAM DA MERENDA ESCOLAR PARA VENCER O DIA DE AULAS. QUANTAS DELAS, CAIRAM NA QUADRA DURANTE AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, PELO FATO DE NÃO TEREM COMIDO NADA EM CASA? AMIGA, NÓS PARTICIPAMOS DA EDUCAÇÃO DE MUITA GENTE QUE HOJE COMPÕE A SOCIEDADE CAMAÇARIENSE!
    AGORA, TENHO A FELICIDADE DE TER EM MEU ARQUIVO DO PC UM DEPOIMENTO MARAVILHOSO,GRAVADO, DESSA GENIAL MULHER DO "DIREITO NACIONAL" QUE DEFENDE UMA CAUSA JUSTA DA GENTE QUE FORA SEMPRE, INJUSTIÇADA NO ÂMAGO DA SOCIEDADE BRASILEIRA. PARABÉNS, ESTOU ORGULHOSO DE TER TRABALHADO COM A SENHORA DURANTE AQUELES ANOS. DESEJO-LHE MUITO SUCESSO, MUITA PAZ.

    UM FORTE ABRAÇO DO

    RAYMUNDO.

    ResponderExcluir
  8. TENHO A IMPRESSÃO DE QUE POSSO CHAMÁ-LA DE LUISLINDA PORQUE FIZEMOS UMA COISA MUITO BONITA PARA A SOCIEDADE BAIANA NOS ANOS 70. FOMOS PROFESSORES NO COLÉGIO POLIVALENTE DE CAMAÇARI. LA VIVEMOS UM MOMENTO DE EDUCAÇÃO DO JEITO QUE NÃO SE FAZ HA MUITO TEMPO! LÁ TIVEMOS A FELICIDADE DE CONVIVER COM CRIANÇAS MUITO HUMILDES QUE DEPENDIAM DA MERENDA ESCOLAR PARA VENCER O DIA DE AULAS. QUANTAS DELAS, CAIRAM NA QUADRA DURANTE AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, PELO FATO DE NÃO TEREM COMIDO NADA EM CASA? AMIGA, NÓS PARTICIPAMOS DA EDUCAÇÃO DE MUITA GENTE QUE HOJE COMPÕE A SOCIEDADE CAMAÇARIENSE!
    AGORA, TENHO A FELICIDADE DE TER EM MEU ARQUIVO DO PC UM DEPOIMENTO MARAVILHOSO,GRAVADO, DESSA GENIAL MULHER DO "DIREITO NACIONAL" QUE DEFENDE UMA CAUSA JUSTA DA GENTE QUE FORA SEMPRE, INJUSTIÇADA NO ÂMAGO DA SOCIEDADE BRASILEIRA. PARABÉNS, ESTOU ORGULHOSO DE TER TRABALHADO COM A SENHORA DURANTE AQUELES ANOS. DESEJO-LHE MUITO SUCESSO, MUITA PAZ.

    UM FORTE ABRAÇO DO

    RAYMUNDO.

    rymundovet@ig.com.br

    ResponderExcluir
  9. Boa noite Vossa Excelencia gostaria de lhe parabenizar pela sua luta e tambem pedir um auxilio pois minha mae esta com um problema muito grande em 2005 minha irma mais nova com 22 anos engravidou pela segunda vez ate entao tudo bem em janeiro de 2006 ele teve o sammuel ele nasceu perfeito no dia 08 infelizmente no dia 23 no mesmo mes ela veio a obito pior q nao sabemos o q aconteceu pois no laudo de como morte indeterminada no hospital uma enfermeira nos entregou um ultrassson dela gravida isso 8 dias depois q meu sobrinho nasceu nos temos um pequeno negocio e ela trabalhava la ela so iria pg o inss proximo ao nascimento do nenem q seria no mes de fevereiro ele nasceu antes fomos a previdencia explicamos tudo e eles deram multa e os valores a serem recolhidos depois de la pra ca nao conseguimos receber o beneficio mais no começo do ano dei entrada em outra agencia ai eles liberaram so q quando pedimos o retroativo bloquearam novamente diz q so o juiz pode resolver isso pior q a juiza na questao da morte dela alega q nao tem culpado e pediu q eu nao piorasse as coisas hoje minha mae esta passando por dificuldade financeira e ate mesmo por pressao psicologicas pois ela tem 65 anos e nao e facil com 2 crianças nao sabemos o q fazer pois teve um pouco de racismo pois o 1 juiz do inss disse q se fosse um salario minimo tudo minha mae perguntou se era pq ela era negra ele so riu e tudo bem meu email e rcvasco@bol.com.br qualquer um q tiver uma soluçao pra me ajudar me mandem eu estava fazendo o curso de direito na mesma faculdade desse juiz onde el da aula acabei perdendo a bolsa nao sei pq beijos e parabens

    ResponderExcluir
  10. Exeletissima juiza luislina venho aqui nesse blog porque foi o único meio que encontrei para especificar os meus problema que atormenta minha familía sei que aqui não é o lugar devido para pedidos. Sou um ser em busca do aprendizado e por esses motivo deixei minha terra natal da Cidade de Barrocas-Ba com a idade de 16 anos e aqui estou em São Paulo mas meus pais estão lá no interior deste Estado .
    Exelentissima tenho um irmão que foi preso ijustamente está pagando por um crime que não ocorreu onde consta roubo estrupo invasão de privacidade quando assim fiquei sabendo passou cinco mês voltei a minha terra natal e vir o meu irmão na casa de detenção de Serrinha, contando-me que nada que estava no Bó teria ocorrido idaguei por varias vezes.
    Fui ao encontro da vitima assim mim relatou que não ocorreu nada do que tinha sido colocado nos autos,perguntei varias vezes e porque o meu irmão tinha sido preso ela disse ele estava do meu lado e hoje meu irmão foi julgado por que matou onde não ocorreu nenhuma morte onde pegou uma prisão de 35 anos de prisão.
    O Nome dele é Edigar da cruz gois preciso de uma luz para esse caso peço-te encarecidamente cicero andre gois....

    ResponderExcluir